terça-feira, 29 de junho de 2010

Por qual começar?


Presentes na fotografia da minha estante estão todos os livros de Murakami editados em Portugal, excepto «A Sul da Fronteira, a Oeste do Sol» que emprestei há uns dias, e «O Elefante Evapora-se» que ainda não adquiri. Duas observações ainda: a edição de «Sputnik, Meu Amor» não é a da Casa das Letras, mas sim a que veio com a Revista Sábado. E os dois livros pequenininhos que se encontram ali são nada mais nada menos que os dois primeiros livros do Haruki, nunca publicados em Portugal, que mandei vir do japão (em inglês). Mas deixo esses pormenores para serem contados noutro dia. Porque hoje venho colocar a questão que já uma visitante do nosso blog deixou na caixa de comentários, e deve ser comum a muitos leitores: por que livro do autor japonês começar?

É uma pergunta importante. Porque apesar das obras de Murakami se basearem todas mais ou menos num mesmo género, um "surreal quotidiano", têm diferentes intensidades. Ou seja, alguns livros são mais ligeiros, e outros mais pesados. Ainda não os li todos, mas dos 9 que li, conclui isso. Uma infeliz escolha de um primeiro livro pode sentenciar o gosto pelo autor. Convém que a primeira leitura não seja muito radical, não atire para a cara do leitor demasiado surrealismo junto; convém não haver um choque. Daí que, na minha opinião, o autor deva começar por:

- Sputnik, Meu Amor; ou

- A Sul da Fronteira, a Oeste do Sol.

O primeiro, por uma questão mais pessoal. Foi o primeiro livro que li do autor, e adorei, por isso é mais um partir do princípio que, tendo sido o meu primeiro e gostei, pode acontecer com todas as outras pessoas. No entanto, conheço duas ou três pessoas que tentaram ler o Sputnik como primeiro livro do autor, e a pessoa A não conseguiu acabar, e a pessoa B gostou mas não se cativou muito.

É por isso que também coloco como hipótese bastante boa «A Sul da Fronteira, a Oeste do Sol». É um livro mais mundano dele, foge a exageros surrealistas embora não os elimine por completo, e é capaz de ser uma entrada suave no universo do autor - para, mais tarde, o leitor se aventurar em vôos mais altos! A pessoa A, que não acabara o Sputnik, adorou este. E a pessoa B encontra-se presentemente a lê-lo...

Uma última observação: livros a evitar para se começar. Na minha opinião, não escolham Crónica do Pássaro de Corda, Kafka à Beira-Mar, e Auto-Retrato do Escritor enquanto corredor de fundo. Os dois primeiros porque são, digamos, o expoente máximo da escrita surreal em Murakami - corre-se o risco do efeito choque; o segundo porque, tratando-se de uma espécie de auto-biografia, convém conhecer-se já a escrita do autor, para depois ter graça conhecer mais sobre ele concretamente.

Isto são as minhas escolhas e conselhos. Mas de certeza que há por aí outros leitores que têm opiniões diferentes! Por que livro começaram a ler? Partilhem em comentários!


11 comentários:

Ana C. Nunes disse...

Tinha intenções de começar pelo "Sputnik, meu amor" e pelos vistos não era má escolha.
Já agora, este post dá uma grande ajuda, sim senhor.

Ana Carolina disse...

Comecei a ler esta semana o primeiro livro dele: Norwegian Wood, suscitou o interesse, por ser uma música dos Beatles que eu gosto muito. Comecei e não largo o livro. É tão cativante. Muitos me dizem que é um dos melhores deles, o que achaste dele?

t i a g o disse...

Ana,
acho que é um livro bom para começar, sim :) Mas se não gostares, não desistas logo do autor, e dá uma última oportunidade com o A Sul da Fronteira, a Oeste do Sol. Olha o exemplo que dei, da pessoa A! ;)

Ana Carolina,
sim, leio por todo o lado que é dos melhores dele. Mas é dos que ainda não li!! Tenho-o na estante, para ler ainda este ano, mas ainda não o fiz... depois fico à espera da tua opinião, está bem? :)

Obrigado às duas pelas visitas!

Jacqueline' disse...

Eu comecei com A Sul da Fronteira, a Oeste do Sol, e fiquei encantada. Não li mais nenhum dele, mas vontade não me falta.

Carlinha disse...

Bom agora já só falta começar mesmo... muito obrigada.

Boas atmosferas. ;)

Ana Carolina disse...

Está bem :)

Sílvia Dias disse...

tenho também uma longa colecção do murakami, quase sempre em inglês. o primeiro que li foi o sputnik, mas a quem não conhece ofereço/ sugiro o kafka. não só por ser o meu preferido, mas por achar que é o melhor. assim a pessoa fica logo rendida :) tem dado resultado.

Root ky disse...

Não sou da opinião de que tem de existir uma regra para se começar a ler Murakami. As pessoas têm gostos diferentes e o que para uns é fantástico, para outros pode não dizer rigorosamente nada. Haruki Murakami tem o poder de cativar os seus leitores com personagens incríveis do seu imaginário e de manter o suspense por um longo período mas não tão longo ao ponto de ser enfadonho. Comecei por ler Kafka à beira-mar e fiquei logo rendida às suas histórias. Sim, tem muita fantasia e muitas personagens, para quem gosta de fantasia, aventuras e muita acção à mistura é o ideal. Para além deste, li ainda o After Dark que também adorei e achei mais realista. Neste momento estou a ler Em busca do carneiro selvagem, ainda é cedo para opinar mas até agora, para variar, estou a adorar. O Blog pode servir para dar a conhecer a Obra de Murakami, onde todos os leitores podem partilhar opiniões e assim orientar novos leitores e cativar outros. Parabéns pela iniciativa Tiago e Marta ;)

Pereira disse...

Parabens pelo blog, está muito interessante ,já fazia falta algo para os fãs portugueses do Murakami!

Já li o "After Dark", "A Sul da Fronteira, a Oeste do Sol", "Norwegian Wood" e estou a ler agora o "Sputnik,Meu Amor". Comecei pelo "After Dark" e agora olhando para trás acho que foi uma boa escolha,já que continua a ser o meu favorito dele...

Tiago Miranda disse...

Boa tarde,

Comecei a semana passada a ler, durante o meu café depois do almoço, o "Sputnik, Meu Amor". É o meu primeiro livro do Murakami. Tenho a dizer que estou a gostar bastante. O café já não sabe igual se não levar o livro comigo...

Cumps

Valter Nunes Corrêa / Shang disse...

Meu primeiro livro foi Norwegian Wood. Deu entrada a outros livros do Autor. Também acho que é difícil indicar um livro para iniciar. Como já disseram, se o leitor não gostar do primeiro, tente um segundo; vale a pena apostar.